A Região

O concelho de Penafiel situa-se no distrito do Porto, numa zona interfluvial demarcada pelos rios Tâmega e Sousa que afluem para o Douro. Abrange uma área com cerca de 200 km².

É a segunda cidade mais antiga do norte do país. Localidade conhecida até ao século XVIII pelo nome Arrifana de Sousa.

Penafiel é uma cidade que oferece tradições, património, tipicidade, paisagem e sabores únicos.

A história construída e natural deixou marcas visíveis na região que possibilita aos visitantes uma experiência cultural e paisagística memorável. Prova disto são: a Rota do Românico, os percursos pedestres por antigos caminhos rurais no meio da natureza, os moinhos recuperados (ciclo do pão) e as aldeias rurais preservadas como a aldeia de Quintandona, classificada como Aldeia de Portugal.

A gastronomia de Penafiel pode ser degustada em restaurantes regionais como o da Casa Valxisto onde o cozido à portuguesa, às típicas sopas secas, o cabrito assado no forno são algumas das iguarias a saborear acompanhadas pelo vinho verde da região.

Fundado em 1948, o Museu Municipal de Penafiel, situa-se no centro histórico da cidade. Atualmente conta com diversas extensões, entre elas a aldeia rural preservada de Quintandona. Dotado de uma forte componente multimédia, foi nomeado em 2010 para prémio “Melhor Museu Europeu do Ano” e no mesmo ano foi considerado o melhor museu português.

A proximidade do Douro oferece a oportunidade de dar uma escapadinha às paisagens dos vinhos num dos magníficos cruzeiros, almoçar com vista sobre a vinha e sentir a história através dos melhores vinhos do mundo e no final do dia regressar à tranquilidade da Casa Valxisto – Country inserida na aldeia preservada de Quintandona.

Aldeia rural preservada de Quintandona

A aldeia de Quintandona é um lugar da Freguesia de Lagares, concelho de Penafiel. Está classificada como Aldeia de Portugal sendo uma aldeia típica preservada, com uma beleza e arquitetura singulares. As características arquitetónicas (a combinação do xisto, com granito amarelo e ardósia), e a paisagem agrícola e florestal que a envolve, justificam a fervorosa procura deste local.

Castro de Monte Mozinho ou Cidade Morta de Penafiel

Este povoado castrejo de época romana, fundado no século I d.C., localiza-se nas freguesias de Oldrões e Galegos.

Fortificado com duas linhas de muralhas, o castro possui uma extensa área habitada, com cerca de 22 hectares, e apresenta diversas reformulações urbanísticas, sendo possível observar vários tipos de construção, desde núcleos de casas-pátio de tradição castreja, com compartimentos circulares e vestíbulo, às complexas habitações romanas de planta quadrada ou rectangular.

Destaque, ainda, para a muralha do século I, em cuja entrada se encontravam duas estátuas de guerreiros galaicos, actualmente no Museu Municipal. O topo do castro é coroado pela acrópole, delimitada por um espesso muro e estéril em construções interiores. Aí se desenrolariam actividades diversas, como jogos, assembleias, mercado, etc...

As escavações no castro de Monte Mozinho tiveram início em 1943, foram retomadas em 1974, e desde então não mais pararam, podendo o espólio ser visto no Museu Municipal de Penafiel.